Explosivo _ Foto Reproducao F2

Plural e livre

Alerta nesse sentido soou com as ameaças nas redes sociais de professoras da Universidade Federal da Bahia – uma delas foi ameaçada de morte – que vêm pesquisando temas como a divisão sexual do trabalho e as questões de gênero na infância, além de uma aluna de mestrado, também ameaçada.

O reitor da UFBA denunciou o acontecimento e mereceu apoio da imprensa. Mas é preciso que todo o País se manifeste. Não é hora de cruzar os braços, nem de ver os acontecimentos com o olhar ingênuo dos fatos isolados. As manifestações de conservadorismo são mais do que um problema, se propagam por toda parte em uma reação em cadeia. Exigem ação policial, sim, para preservar a integridade física das vítimas. Mas, exige acima de tudo o embate cultural. Sob pena de ficarmos, mais uma vez paralisados. A última vez ocorreu a paralisia foi consequência do golpe militar-civil de 1964.

As questões de gênero e da mulher são dois dos grandes temas do século XXI. Não por acaso o The New York Times criou uma seção específica para discutir gênero. Simone de Beauvoir, com O segundo sexo (“não se nasce mulher, torna-se mulher”) foi pioneira. Contudo, o problema persiste e ganha dimensões universais.

É preciso agir, com clareza e discernimento. Foi a omissão da esquerda alemã que, após o levante spartakista, e o assassinato de Rosa Luxemburgo, que abriu caminho para ascensão do fascismo. Entre nós, o conservadorismo é um incêndio que se alastra e ameaça à liberdade de expressão, inclusive a acadêmica. Não é o momento de ficar em silêncio. É preciso ocupar espaços e falar. Sobretudo nas redes sociais. O conservadorismo é um atavismo. Precisamos gritar não a qualquer forma de censura, a plenos pulmões. Se há um valor liberal que pertence ao socialismo e ao capitalismo, este é a liberdade de expressão. Fora desse campo unificador, resta a censura e o fascismo.

* Francisco Viana é jornalista e doutor em Filosofia Política (PUC-SP)

3º Painel: Proteção de dados: interesse público e o direito à privacidade

2º Painel: Liberdade de expressão e direito ao esquecimento

1º Painel: Transformações da sociedade na era digital

Selecionamos outros textos para você