O Paradoxo da Censura Democrática

O atual governo vem defendendo a liberdade de expressão, e afirmou que prefere “um milhão de vezes o som das críticas de uma imprensa livre ao silêncio das ditaduras”. É uma postura nobre. Porém, entre os opostos “expressão livre e desimpedida” e “ditadura”, há inúmeros cenários que envolvem censura em menor ou maior grau. Na democracia da Grécia antiga, Sócrates foi condenado à morte por “corromper os jovens”.

Por Hélio Beltrão
Fundador e Presidente do Instituto Mises Brasil.

Fac-símile do artigo publicado no Jornal O Globo – Caderno O País – 24/03/2011 (PDF)

Selecionamos outros textos para você