Dica da Semana

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

Por Francisco Viana – Enquanto houver champanhe, há esperança é a merecida biografia de Zózimo Barroso do Amaral, colunista no Rio de Janeiro, preso na ditadura duas vezes por cometer um único crime: publicar notinhas.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 390 Instituto Palavra Aberta

Por Francisco Viana – Os melhores artigos de Paulo Francis, publicados na Folha de S.Paulo, entre 1975 e 1990, estão reunidos no livro organizado por Nelson de Sá, cronista do mesmo jornal. Polemista irrefreável, Francis foi um dos primeiros críticos da mídia no Brasil.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

Por Francisco Viana – Sob diferentes ângulos, Albert Camus escreveu Esperança do Mundo, um dos seus cadernos que versa sobre a liberdade, a liberdade de criar e de enfrentar os dilemas da criação.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 420 Instituto Palavra Aberta

Por Francisco Viana – Uma autobiografia insólita, que revela, em cinco episódios, as conexões entre a arte e a vida. Em Os fatos, o escritor Philip Roth consegue equilibrar os acontecimentos e a ficção, sem abdicar a sua narrativa criativa.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

Cinco livros compõem a Coletânea da Democracia, que traz, de maneira pioneira na língua portuguesa, importantes obras no campo da ciência política e teoria democrática.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

Galileu é um filme marcante e relata a vida de um dos maiores gênios da ciência, que desafiou a Inquisição e o senso comum, foi alvo de perseguições, mas nunca deixou de afirmar suas ideias e verdades.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

A censura nas telenovelas brasileiras, com riqueza de detalhes, é a matéria-prima do livro Beijo Amordaçado, escrito pelo jornalista Cláudio Ferreira, e que será lançada no próximo dia 15 (sábado), em Brasília.

Dica da Semana
Dica da Semana 630 345 Instituto Palavra Aberta

Uma biografia para ser lida de um folego só, a despeito das suas mais de 500 páginas. Roberto Civita narra os bastidores da Editora Abril, as histórias e lembranças, e a trajetória desse jornalista que primava pela independência e pela defesa da liberdade de expressão.