Direito à expressão no II Congresso Internacional de Comunicação e Educação

Com o tema ‘Educação midiática: práticas democráticas pela transformação social’, o II Congresso Internacional de Comunicação e Educação, a ser realizado entre os dias 12 e 14 de novembro, na ECA-USP, terá o Direito à Expressão como um marco das atividades.

ABPEducom e NCE (Núcleo de Comunicação e Educação da USP), promotores do evento, reconhecem a importância de se assumir o direito à expressão como uma conquista inerente ao artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Nesse sentido, além da cobertura educomunicativa e da participação de estudantes e professores do ciclo básico, que poderão se expressar na ocasião do evento, o II Congresso Internacional terá uma painel destinado a promover um diálogo entre os promotores de iniciativas em favor da liberdade de expressão. No dia 12 de novembro, a partir das 13h30, o painel “Educação midiática e liberdade de expressão” reunirá representantes de programas de educação midiática e educomunicação, no Brasil e no mundo.

Confira abaixo os debatedores e participe!

Patrícia Blanco – Instituto Palavra Aberta

Formada em Relações Públicas pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, com Pós-graduação em Marketing pela ESPM. Trabalhou em empresas como Madia e Associados Consultoria Internacional de Marketing, IDEC – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor onde foi Coordenadora de Comunicação e na O.A. Consultoria de Comunicação como Diretora Associada. Em 2000, fundou a Blanco Assessoria de Comunicação. Foi durante três anos Diretora Executiva do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial – ETCO. É atualmente Presidente Executiva e do Conselho Diretor do Instituto Palavra Aberta e conselheira suplente do Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional (CCS).


Maria Cristina Castilho Costa
 – Núcleo de Apoio à Pesquisa em Comunicação e Censura/USP.  

Possui Bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1973), Mestrado (1985) e Doutorado (1990) em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de São Paulo. É LIvre-Docente em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo. Atualmente é Professora Titular em Comunicação e Cultura da Universidade de São Paulo. Sua experiência como pesquisadora é na área de Sociologia, com ênfase em Artes e Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação, arte, educação, sociologia. É coordenadora do OBCOM – Núcelo de Apoio à Pesquisa – Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura da USP e Vice-Chefe do Departamento de Comunicações e Artes – CCA – da ECA/USP.

Olívia Bandeira de Mello Carvalho– Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social.

Doutora em Antropologia Cultural pelo PPGSA da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e mestre em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Integrante do Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social. Foi pesquisadora do LabCULT – Laboratório de Pesquisa em Culturas e Tecnologias da Comunicação da UFF (2008 e 2011), coordenadora de Diversidade Cultural da Secretaria de Estado de Cultura do estado do Rio de Janeiro, coordenadora da área de pesquisa em Economia da Cultura do Instituto Sociocultural Overmundo e coordenadora de projetos da ONG Bem TV – Educação e Comunicação.

 

Paulo Saldaña – JEDUCA – Associação de Jornalistas de Educação

Paulo Saldaña é repórter de educação do jornal Folha de S.Paulo desde 2016. Antes, trabalhou por mais de seis anos em O Estado de S. Paulo como setorista do tema. É fundador e diretor da Jeduca (Associação de Jornalistas de Educação). Formado em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, também estudou Letras na USP. Já recebeu diversos prêmios de jornalismo com reportagens sobre educação, como o Esso, CNI e Andifes.

 

 

Maria Immacolata Vassallo de Lopes – OBITEL –USP

Doutora em comunicação e professora titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (USP). Coordena o Centro de Estudos de Telenovela da USP e o OBITEL (Observatório Ibero-Americano de Ficção Televisiva). É editora da revista acadêmica MATRIZes. Presidente da ASSIBERCOM (Associação Ibero-Americana de Comunicação). Professora visitante em diversas universidades da América Latina e Europa. Publicou diversos livros e artigos no Brasil e no exterior. Seus temas de interesse são: epistemologia, teoria e metodologia em comunicação, estudos de recepção, telenovela, ficção televisiva transmídia.


Christine Nyirjesy Bragale
 – vice-presidente do The News Literacy Project desde junho de 2018.

 Antes disso, ela trabalhou na organização humanitária Mercy Corps, onde liderou a comunicação global e a equipe de engajamento público.  Christine é jornalista internacional veterana e ex-membro do corpo de imprensa na Casa Branca. Passou a primeira década de sua carreira cobrindo política, diplomacia, notícias internacionais e trabalhou como produtora de notícias de televisão e editora, incluindo Associated Press, onde ajudou a lançar o canal de televisão da agência global de notícias, APTN, e gerenciou as operações de coleta de notícias nas Américas para o canal.  Ao longo de sua carreira em Relações Públicas, ela teve papéis de liderança na empresa de caridade internacional – Goodwill – organização sem fins lucrativos com orçamento de 3 bilhões de dólares; TASC – empresa da defesa e de segurança nacional; e Weber Merritt – empresa de Relações Públicas especializada em mídia e defesa das comunidades locais. Christine é uma estrategista de comunicação multilíngue e credenciada pela Associação Internacional de Comunicadores de Negócios. Ganhou mais de 30 prêmios da indústria por suas campanhas de comunicação, discursos e produção de vídeos. Ela tem bacharelado em História e certificado em estudos latino-americanos pela Universidade de Georgetown.

Selecionamos outros textos para você