2018: um ano marcante

Que ano marcante, para dizer o mínimo. 2018 foi intenso, cheio de acontecimentos, de disputas das mais diversas, de debates, informação, desinformação. Tudo o que se poderia esperar de um ano com Copa do Mundo e eleições presidenciais. Mas 2018 foi além, entrará para a história como um ano de grandes transformações e rupturas.

Rupturas como processos antigos, técnicas consolidadas na forma de fazer política e de conquistar votos. Transformações imensas na forma como consumimos e produzimos informação. Nunca tivemos tanta liberdade, e ao mesmo tempo, nunca fomos tão censurados. Uma censura diferente dos moldes anteriores, representada sob a forma da intolerância e de ataques daqueles que não concordam com um ponto de vista diferente, com opiniões contrárias e com a livre expressão de ideias.

Tivemos que aprender palavras novas que representam grandes desafios: desinformação, Fake News, agências de checagem, memes, fatos alternativos, deep fake, post patrocinado, algorítimos, bolhas informativas e tantas outras.

Se, por um lado, tivemos que nos reinventar para superar os obstáculos, por outro, saímos mais fortes. Organizamos coalizões inéditas para desbancar boatos que pudessem afetar o resultados das eleições, fizemos parcerias para levar a informação correta ao público, unimos esforços para desenvolver ferramentas para que todos pudessem se defender e ao mesmo tempo participar ativamente nesse processo tão intenso que se tornou a comunicação nos dias atuais.]

E mesmo diante de todos estes acontecimentos, nossa liberdade de expressão continua intacta e ainda mais fortalecida. Nunca se precisou tanto da imprensa, nunca a imprensa precisou tanto de nós para defende-la é verdade. Mas a liberdade se consolida e tem como seu escudo protetor, a Constituição Brasileira, que neste ano completou 30 anos.

Para o Palavra Aberta, 2018 foi um ano incrível. Muitas ações que consolidaram ainda mais a atuação do Instituto na defesa e promoção da liberdade de expressão. E não paramos por aí, lançamos sementes de projetos importantes para 2019. Um deles, talvez aquele que terá grande impacto nas próximas gerações: a educação midiática. Palavra nova para apresentar um desafio antigo: como desenvolver o senso crítico em crianças e adolescentes para que possam se tornar cidadãos mais atuantes, mais autônomos e, principalmente mais confiantes para exercerem a sua liberdade e cidadania.

Desafio de longuíssimo prazo, mas que precisa ser encarado com urgência por todos aqueles que acreditam na democracia. Uma boa meta para 2019, não é mesmo?

Patricia Blanco – Presidente Executiva Instituto Palavra Aberta

Clique aqui e veja nosso relatório de atividade de 2018 – relatório anual.

 

Selecionamos outros textos para você